Olhe ao redor. Veja onde você está. Sinta o seu tempo.

Minha avó costumava dizer “rico é quem tem tempo” todas as vezes em que alguém reclamava sobre a correria da vida, do trabalho e das vicissitudes do dia a dia.

Hoje, ao entrar em um supermercado tive uma experiência que me remeteu ao tal dizer e fui tomada por um aperto no peito inesperado. Já havia passado várias vezes naquele mesmo local, entrado e saído, por vezes ao telefone, por vezes com a cabeça cheia e desta vez, caminhando devagar e olhando as cores das frutas percebi que nunca tinha de fato visto nada daquilo. Todos aqueles produtos, rótulos, marcas, tonalidades, aromas, enfim. Um supermercado qualquer, que antes sempre fora um cenário para o turbilhão de responsabilidades do cotidiano, de repente era um lugar fantástico.

Fui tomada por uma sensação de participação, de pisar no chão e de andar sobre minhas pernas. Para além disso, fiquei assustada com o quanto de coisas tenho deixado de ver, de sentir, e de vivenciar.

Algumas vezes passamos dias assim, em alguma missão individual sem reparar no que nos cerca. Isso nos dá a sensação de movimento, de concretização de objetivos, de eficácia. Mas, será este o caminho? Obviamente não é possível fazer esse tipo de imersão a todo momento, compras se tornariam expedições homéricas incabíveis no nosso tempo, porém, ter a possibilidade de imergir em algumas cenas de nossas jornadas pode trazer um bem estar inimaginável.

Muitos estudos têm falado sobre os benefícios da prática de meditação para a saúde mental, especialmente o mindfulness, técnica de atenção plena – já validada por pesquisas científicas robustas como método de tratamento em protocolos clínicos como no manejo do Transtorno de Estresse Pós Traumático, por exemplo. O foco no “aqui e agora” parece trazer de volta algumas mentes aflitas se praticado de forma habitual. Afinal, quem de nós não tem a sensação de estar perdido na correria?

Experimente fazer de algo trivial um exercício de observação. Permita-se degustar um pouquinho este momento. Olhe ao redor, escolha um local e uma cena e admire como se estivesse vendo uma obra de arte. Todas as cores, todas as formas, os movimentos. Sem julgamentos ou quaisquer pensamentos concretos, sinta apenas o “existir” dentro desta tela. Você se surpreenderá com o sentimento de ter tempo.